Blogger templates

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Exclusivo: "A minha carreira ficará para sempre ligada à Oliveirense" - Bruno Sousa

Bruno Sousa é, actualmente, treinador-adjunto da Oliveirense, mas, noutros tempos, foi jogador profissional.
O ex-jogador foi obrigado a terminar a carreira, a meio da época 2012/2013, devido a um problema na cervical. Mais precisamente, foi a 10 de Novembro de 2012, que efectuou a sua última partida como profissional de futebol, ao serviço da Oliveirense, contra o Benfica "B".
Passado um ano e quatro meses da sua última partida, o FAS - Futebol Ao Segundo entrevistou Bruno Sousa, que abordou vários temas, desde a sua carreira, passando pelo último jogo como profissional até ao desempenho actual da Oliveirense, na Segunda Liga.

FAS - Futebol Ao Segundo (FAS) - Começou a jogar futebol profissional, em 1999/2000, e teve que abandonar o futebol, em 2012/2013, ao serviço da Oliveirense. De um modo geral, como caracteriza a sua carreira? Sente que foi positiva?
Bruno Sousa (BS) - Comecei a jogar futebol, em 1990, com 10 anos, na Ovarense e passei pelos juvenis do Boavista e pelos juniores do Sporting, onde assinei um contrato profissional de quatro anos e onde convivi no lar do Sporting, com o Ronaldo, o Carlos Martins, o Hugo Viana, entre outros. Depois fiz o meu primeiro ano de sénior no Lourinhanense, clube satélite, na altura, e depois fui emprestado ao clube da minha terra, o Ovarense, que, na altura, estava na segunda liga. Depois passei por Canelas, Pinhalnovense, Oliveirense e Trofense.
De um modo geral, sinto um orgulho enorme na carreira que fiz e no profissional que sempre fui, por onde passei, onde destaco o meu actual clube, a União Desportiva Oliveirense, como os grandes momentos que vivi da minha carreira. Fizemos épocas fantásticas e as quais demos grandes alegrias aos adeptos da Oliveirense e, certamente, iremos ficar na história deste enorme clube em simplicidade, humildade e grande em união e espírito familiar, o qual me fez lutar e sofrer por este clube para sempre. A minha carreira ficará para sempre ligada a este clube pelo que vivi e sofri com esta camisola envergada.
Por tudo o que vivi como profissional e pela forma que sempre me dediquei a esta enorme paixão e por todas as alegrias que vivi, sinto e classifico que foi uma carreira positiva.

FAS - Nunca jogou na Primeira Liga portuguesa. Pensa que tinha capacidades para ter lá chegado?
BS - Infelizmente, não realizei esse sonho, o qual por vezes pareceu estar perto, mas por isto ou por aquilo nunca se realizava e por diversas vezes fui sondado, mas nunca concretizado. Mas sinto que se me tivessem dado essa oportunidade, certamente, a iria agarrar e provar que estariam certos em me dar essa hipótese de jogar na Primeira Liga portuguesa.

FAS - Em 2012/2013, teve que abandonar o futebol, devido a um problema na cervical. Terá sido, certamente, um duro golpe abandonar a carreira de futebolista?
BS - Foi o pior dia da minha vida, quando soube que não iria mais fazer aquilo que tanto amava e me dedicava intensamente, o qual eu achava que iria jogar até me sentir com forças para o fazer, porque sempre fui regrado na minha vida profissional e tinha esse objectivo de jogar até ao mais tarde possível da minha idade. Mas esse dia mais triste da minha vida antecipou-se e chegou muito mais cedo do que eu imaginava.

Bruno Sousa (à direita) em acção
frente ao Benfica "B"

FAS - Certamente, ainda se lembra do seu último jogo como profissional e de um golo que marcou que foi anulado?
BS - Sim, lembro-me desse jogo, desse dia, dessa noite, como se ainda tivesse sido ontem. Mas já passou um ano e quatro meses, só que é tão duro aceitar que esses momentos vivem comigo diariamente. Vejo as imagens do jogo que tenho gravado. Tudo um pouco que me faz reviver essa paixão que era andar lá dentro daquelas quatro linhas a jogar e a lutar com todas as forças e dedicação máxima pela vitória, em todos os jogos.
Esse jogo vai ficar marcado para sempre na minha vida e se esse golo que marquei não tivesse sido anulado (que acho e penso que foi mal anulado) teria sido, certamente, uma despedida da minha carreira profissional e da minha última entrega e dedicação como jogador com esta camisola da Oliveirense em pleno.
E ainda guardo uma recordação, com muita emoção, desse jogo, enviada pelo Benfica "B", que foi uma camisola do Benfica com o meu número 31 e o meu nome Bruno Sousa, um cachecol, um galhardete e uma carta a enaltecer o profissional que fui na minha carreira. Bonita e sentida recordação.

FAS - Abandonou a carreira de futebolista, mas iniciou, esta época, a carreira de técnico, sendo treinador-adjunto da Oliveirense. É difícil, para si, ver do "banco" alguns companheiros seus a jogar?
BS - Sim, o presidente fez-me o convite, assim que tive que abandonar o futebol, para ficar ligado à equipa técnica e, hoje, estou muito grato a ele por me ter dado essa oportunidade de ficar ligado a esta paixão que é o futebol e este clube pelo qual sofro. Hoje, sou o número dois da equipa técnica e o sofrimento de fora das quatro linhas é muito maior que andar lá dentro a correr e a lutar com os meus colegas. Sofro muito mais. Sinto uma grande vontade de saltar lá para dentro e ir ajudá-los, com toda a garra e dedicação pela vitória, em cada jogo.

FAS - Neste momento, a Oliveirense está com 38 pontos, apenas mais três do que o último classificado. Acha que é possível garantir a manutenção?
BS - Sim, neste momento, temos apenas mais três pontos que o último classificado e mais dois que o penúltimo, mas acredito e sinto que este grupo vai, certamente, conseguir os seus objectivos, porque trabalham, diariamente, para isso e têm valor para o fazer.

FAS - O que se pode esperar da Oliveirense nas restantes seis jornadas que faltam?
BS - Pode-se esperar uma Oliveirense a lutar, como em todos os jogos que disputámos, pela vitória, com toda a dedicação, determinação, raça, entrega e muita união para honrar esta camisola que envergamos e que, certamente, vamos chegar ao fim destas seis finais com os objectivos cumpridos.

FAS - Gostava de deixar alguma mensagem aos adeptos da Oliveirense?
BS - Gostava de lhes dizer que este grupo tudo fará para honrar e dignificar este clube e esta camisola que envergamos até ao último segundo de cada jogo que disputarmos, porque estes sócios, adeptos e simpatizantes também o merecem. Para isso, também queria aproveitar e pedir-lhes que compareçam, em todos os jogos, em grande número, para nos apoiar do início ao fim dos jogos e para nos ajudar na conquista das vitórias, porque a força deles também é importante na conquista dos triunfos. Um grande abraço a todos os adeptos da Oliveirense.

O FAS - Futebol Ao Segundo agradece a disponibilidade do treinador-adjunto da Oliveirense, Bruno Sousa, desejando-lhe muitas felicidades desportivas.

Fotos: Direitos Reservados

Sem comentários: